jump to navigation

Arquétipo Jedi para M&M 04/30/2009

Posted by Ágatha Guedes in Star Wars - M&M.
Tags: , , , , , ,
add a comment

sw_mm

Falei recentemente do cancelamento de alguns projetos que havia prometido e resolvi me organizar e me planejar melhor. O resultado disso é uma adaptação de Star Wars para M&M, aproveitando minha campanha que se inicia no fim desse mês (do mesmo tema).

Resolvi usar o sistema de M&M por ser um sistema rápido e flexível (aos meus olhos), por isso achei que seria uma boa. Nessa adaptação vocês NÃO encontrarão material descritivo em geral, como naves, planetas, história, cronologia e outras. A idéia é adaptar para aqueles que conhecem o cenário onde se passa Star Wars.

Logo abaixo vocês já podem ver um preview do que está por vir. Meus planos são postar uma parte do material por semana, até que a adaptação esteja completa (novamente, aos meus olhos). Para começo de conversa, estou desenvolvendo os arquétipos e começo deixando aqui para análise (Sim, porque sugestões e correções serão bem vindas) o arquétipo Jedi.

Agradeço a compreensão e divirtam-se.

Para ver o Arquétipo Jedi, clique AQUI.

N.A.: Apenas para evitar problemas, vou postar abaixo uma lista que fiz com os poderes permitidos tirados diretamente do Mutantes e Malfeitores. Não incluí (e nem pretendo) nenhum poder encontrado em suplementos importados. Minha idéia é adaptar esse material para o público da Jambô, que não têm Ultimate Power nem qualquer outro suplemento (Exceto o Manual do Malfeitor, que eu não tenho, portanto fico devendo qualquer informação a respeito).

Lista de Poderes Permitidos:

Atordoar, Campo de Força, Camuflagem, Compreender, Deflexão, Escudo Mental, Golpe, Imóvel, Invisibilidade, Leitura Mental, Raio, Rajada Mental, Salto, Telecinesia e Telepatia.

Para quem quiser saber sobre a soma dos valores do Arquétipo, ela está aqui:
Habilidade: 18 / Perícias: 7 / Feitos: 3 / Poderes: 80 / Combate: 24 / Salvamento: 24

Por trás de algumas idéias. 04/24/2009

Posted by Ágatha Guedes in Opinião e Bate Papo.
5 comments

Venho esses dias pensando em algo, em como nós como mestres somos injustos, algumas vezes.

dexter

Eu te garanto que vai ser um Seria Killer legal, que só vai matar quem merece morrer. Mestre: - Claro que não, isso não tem o menor cabimento.

Quando estamos iniciando uma campanha, avaliamos minuciosamente quais personagens se encaixam ou não em nossas aventuras.  Muitas vezes paramos para “analisar” as idéias lançadas pelos jogadores com o propósito de ganharmos tempo, mas na maioria das vezes nós já temos a resposta pronta em nossa mente. Seria simples demais dizer apenas um “não”, normalmente isso requer tempo. Temos que dar aos jogadores tempo para que eles percebam que podem não jogar com aquilo que querem, que talvez tenham que jogar com algo que se “encaixe” melhor na aventura. Muitas das vezes esse “encaixe” é algo que você já tinha pensado que o jogador escolheria, mas ele, como qualquer jogador apto de uma decisão feminina (para esses casos), te surpreende e escolhe algo que estava totalmente fora do seu patamar de pensamento.

Quem imaginaria que um Serial Killer daria certo numa série de TV? (vide foto acima). Quem diria que um personagem ladrão se encaixaria bem naquele jogador que está sempre escolhendo Paladino, Clérigo e outros personagens “justos”.

O mestre tem esse poder de decidir sobre o que os personagens dos jogadores serão. Ainda que não uma decisão direta, o mestre tem o poder de manipular uma escolha até ela se tornar sua escolha, o que ao meu ponto de vista é errado.

Por que na hora de decidir se um NPC é ou não forte demais, os jogadores não participam? Por que na hora de decidir se a aventura terá mais ou menos investigação, os jogadores não participam? Por quais motivos, nós mestres, achamos que temos o direito de decidir por eles quando não damos a eles o mesmo direito de escolha?

Defendo aqui, nesse texto, não o direito de “intromissão” dos jogadores nas decisões das aventuras, mas sim o direito de escolherem, baseado em suas próprias escolhas, com o que podem ou não podem jogar. Não digo em todas as aventuras, mas em uma ou outra. Tentem dar um pouco mais de liberdade aos jogadores. Tentem “amolecer” mais na hora da escolha dos personagens. Vamos dar crédito aos nosso amigos para que eles possam retribuir com boas idéias (ou não). Vamos deixar que em ao menos uma aventura eles escolham realmente o que quiserem para jogar. Vamos dar liberdade de expressão aos nossos jogadores.

Ps.: Claro que esse texto não se destina a TODOS os mestres, os que estão fora disso, deixem comentários com dicas de como fazer isso sem perder o controle.

Retorno 04/22/2009

Posted by Ágatha Guedes in Opinião e Bate Papo.
1 comment so far

Em primeiro lugar, mais importante de tudo, eu queria pedir minhas mais sinceras desculpas para aqueles que vieram e continuam (e espero que continuem) vindo aqui. Estive passando por problemas pessoas, um falecimento na família, então resolvi correr atrás da vida e acabei deixando coisas secundárias (ainda que importantes) de lado. Hoje, depois de muito pensar, eu retorno com um vigor diferente e um propósito novo. Decidi continuar com o blog e dar prosseguimento ao que já havia sendo feito, embora algumas coisas não estivessem seguindo esse ritmo.

Começo dizendo que os projetos que anunciei até aqui serão esquecidos (alguns melhorados), foram poucos, mas seria um desrespeito cancelar os projetos e as idéias sem ao menos avisar. O post anterior, onde eu pedi que me dessem ideias eu mantenho, vou preparar os textos sugeridos.  Daqui pra frente planejarei melhor e executarei com mais maestria. Tenho certeza que todos vão gostar.

Para não me alongar demais em um post que deveria ser curto, gostaria de dizer que continuamos aqui, rolando dados e nos divertindo, sempre tendo em mente que a vida é mais importante e que um sorriso é a coisa mais valiosa que temos. Por isso, divirtam-se rapazes e moças, nossos posts voltarão logo.